terça-feira, 2 de outubro de 2012

Quem inventou a escola?





A escola foi criada ao longo do tempo por vários povos. Desde a Pré-História, crianças e jovens aprendiam com os mais velhos.

Na Antiguidade, já havia escolas no Egito, na China e na Índia. Mas só no século 12, na Europa, surgiram escolas parecidas com as atuais, para as crianças. E apenas os mais ricos podiam estudar.

A escola pública, acessível a todos, apareceu entre os séculos 18 e 19, na Inglaterra, e depois se espalhou pelo mundo.




Amanda Cristina de Oliveira Reschke – 7º ano B


Iohannis Amos Comenius (1592+78=1670) esse simplório senhor é o pai das nossas escolas. propôs uma “Didactica Magna” que, no seu entender, difere de outras pela sua abrangência. Enquanto outras “artes de ensinar” cuidam desse ou daquele tema, tratando-os de um ou de outro modo, o professor checo procurou estabelecer as bases da escola universal: onde todos aprenderiam tudo.

Iohannis Amos Comenius

Padre José de Anchieta (1534+63=1597) nasceu na  ilha de Tenerife, no arquipélago das Canárias, foi o homem que trouxe a escola para o Brasil.

Padre José de Anchieta

A educação indígena foi interrompida com a chegada dos jesuítas. Os primeiros chegaram ao território brasileiro em março de 1549. Comandados pelo Padre Manoel de Nóbrega, quinze dias após a chegada edificaram a primeira escola elementar brasileira, em Salvador, tendo como mestre o Irmão Vicente Rodrigues, contando apenas 21 anos. Irmão Vicente tornou-se o primeiro professor nos moldes europeus, em terras brasileiras, e durante mais de 50 anos dedicou-se ao ensino e a propagação da fé religiosa.


Amanda Duarte Lina – 7º ano B


O imperador Carlos Magno, que até então era analfabeto, deu grande proteção à cultura e criou uma escola em seu palácio de Aquisgrán.

Carlos Magno

Durante o reinado de Carlos Magno (768+46=814), a Europa experimentou um notável desenvolvimento cultural que se tornou conhecido sob o nome de “Renascimento Carolíngio”.
Incrementando o número de escolas nos mosteiros, conventos e abadias, Carlos Magno criou uma quase obrigatoriedade de fornecer instrução aos leigos por parte de uma Igreja. Estas escolas deveriam ser presididas por um eclesiástico - scholasticus - dependente diretamente do bispo, daí o nome de escolástica dado à doutrina e à prática de ensino assim veiculada.



Um comentário:

  1. seus feioso seria muito bom se resisti a escola !!!!!!!!!agora é a gente que tem que ficar na quela sala o dia inteiro valeu mesmo !!!!!!!!!

    ResponderExcluir